Início

Cãotinho do Labrador Retriever

Um espaço de todos e para todos

Sistema urinário e genital

 

Os sistemas urinário e reprodutivo do cão estão relacionados tal como os dos restantes mamíferos. Dois rins retiram do sangue substâncias indesejadas ou potencialmente tóxicas. Os resíduos clarificados passam para a bexiga. Uma única uretra faz sair a urina através do pénis ou, nas cadelas, da vulva. O próprio sistema reprodutivo está integrado na parte final do sistema urinário. Os canais espermáticos dos testículos do macho transportam o esperma até à uretra. Na fêmea, a vagina conduz até à vulva, onde a uretra descarrega.
 
Como funciona o sistema urinário
Cada rim é constituído por cerca de 400 000 unidades individuais de filtração chamadas nefrónios. Cada nefrónio é envolvido por uma roseta simétrica de vasos sanguíneos chamada glomérulo. É aqui que o sangue é "limpo" de resíduos. 
À medida que o cão envelhece, o número de nefrónios diminui e é substituído por tecido cicatricial. No entanto, apenas depois de a maioria dos nefrónios ter sido destruída o cão mostra sinais típicos de uma doença renal, tal como um aumento de sede e de micção. 
A urina vinda dos nefrónios é recolhida 10 centro de cada rim e viaja através da lretra até à bexiga, onde é armazenada e libertada intermitentemente. O esfíncter controla a abertura da bexiga. 
Qualquer situação que afecte o esfíncter, de natureza física, hormonal ou mesmo de natureza psicológica, pode fazer com que este se descontraia, provocando a libertação de urina. Quando diagnosticado um problema urológico, o veterinário pode analisar proteínas, células sanguíneas, minerais ou bactérias na urina do cão e testar também a acidez ou alcalinidade (pH) e concentração.
 
 
Influências hormonais
O macho está sempre sexualmente activo e acasala sempre que pode. A partir da puberdade, as células sexuais são produzidas em massa nos testículos. O macho é atraído pelo odor hormonal das fêmeas sexualmente activas, o que estimula a glândula pituitária, ou hipófise, na base do cérebro a informar os testículos que produzam mais testosterona e esperma. 
A fêmea, geralmente, tem dois ciclos de actividade hormonal reprodutiva (cio) por ano. Cerca de 12 dias antes do cio, a vulva incha e produz uma descarga. Durante o cio, e durante cinco dias, esta descarga pára e os ovários libertam óvulos nas trompas de Falópio. Apenas nessa altura ela escolhe um parceiro. Se o acasalamento acontecer, a gravidez daí resultante durará cerca de 63 dias. 
No entanto, mesmo que não haja acasalamento, a fêmea terá uma gravidez hormonal (metestro) que durará oito semanas, seguida de um período de 15 dias de descanso reprodutivo (anaestro) até à fase seguinte.
 
 
Quando acasalar
A cadela torna-se sexualmente madura aos 10 meses de idade e acasala voluntariamente durante o primeiro cio. Contudo, nesta fase inicial da vida, ainda não atingiu maturidade emocional e psicológica; isto por vezes conduz a ninhadas pequenas e maus cuidados maternais. O acasalamento, geralmente, é mais produtivo durante os ciclos seguintes. 
A maior parte das cadelas ovula entre 10 e 12 dias d
epois do início do ciclo, mas este padrão pode variar entre indivíduos, por isso, a maior parte dos criadores acasala as cadelas duas vezes, no 10.0 e 12.0 ou 11.0 e 13.0 dias. O exame dos fluidos vaginais através de um microscópio indica quando uma cadela ovulou, mas a monitorização dos níveis hormonais do sangue é mais eficaz.
 
 
Sabia que...
- Os espermatozóides são armazenados no epidídimo e, durante o acasalamento, atravessam dois canais deferentes até à glândula da próstata. Aqui, são misturados com um meio de transporte com alto teor de açúcar. Isto alimenta os espermatozóides, que se mantêm saudáveis. O esperma é libertado na cadela durante o acasalamento e encontra-se com os óvulos nas trompas de Falópio, onde acontece a união. O óvulo fertilizado desenvolve-se no útero durante os dois meses seguintes.
 

 

Autor

Autor: 
Toda a Informação aqui contida foi retirada do "Manual Completo CÃO" do Dr. Bruce Fogle.