Início

Cãotinho do Labrador Retriever

Um espaço de todos e para todos

Prisão oferece curso de tosa em cães para detentas terem uma profissão quando estiverem livres

Pensando em tirar suas detentas do ócio e prepará-las para ter uma vida mais digna e uma profissão quando estiverem livres da prisão, o Canadá está oferecendo um curso de banho e tosa em animais para as mulheres que se encontram reclusas em uma de suas penitenciárias.

O projeto, desenvolvido em colaboração com uma escola de tosa chamada Alberta School of Dog Grooming, é uma forma de ajudar na reabilitação das internas da Edmonton Institution for Women, instalação autônoma de segurança mínima, média e máxima exclusiva para mulheres localizada na cidade canadense de Edmonton.

Detentas estão fazendo curso de banho e tosa em cães no Canadá. (Foto: Reprodução / National Post / Jason Franson)

Ao final do curso, que dura de 12 a 16 semanas e inclui 480 horas de treinamento prático, as detentas participantes recebem um certificado e autorização para trabalharem como tosadoras de animais.

O objetivo do projeto, que já formou sua primeira turma de tosadoras em 2017 e tem mais cursos sendo planejados até 2020, é aumentar as habilidades profissionais e dar oportunidades de emprego a essas mulheres no futuro.

Além da questão do emprego, também é muito bom lembrar que o convívio com esses animais também pode ajudar essas mulheres de várias formas e fazer uma enorme diferença no seu processo de reabilitação.

O objetivo do programa é dar oportunidades de emprego para essas mulheres quando elas estiverem livres. (Foto: Reprodução / National Post / Jason Franson)

Como as detentas precisam usar objetos como tesouras e máquinas de tosa, existe uma preocupação em relação a segurança das mulheres e dos animais que estão sendo tratados por elas. Por isso, antes de fazer o curso, cada interessada passa por exames de avaliação, que inclui entrevistas. A partir daí, é feita uma seleção cuidadosa para selecionar as mulheres que estão em condições de participar do programa.

A escolha dos animais que são tratados por essas mulheres também é feita de forma cuidadosa. Além de cães farejadores, de patrulha e que fazem parte da equipe da prisão, cachorros de abrigos e organizações de resgate também estão sendo chamados para participarem do projeto. Com a segurança deles sempre em primeiro lugar.

O convívio com os animais pode ainda ajudar de várias formas, inclusive na socialização dessas mulheres. (Foto: Reprodução / National Post / Jason Franson)

Além de trazer benefícios para essas mulheres e para a comunidade, programas como esse, que envolvem cachorros, podem recuperar e reedificar algo ainda mais profundo nelas.

Fonte: 3 Million Dogs

Data: 
13 de Abril de 2018

Autor

Autor: 
Andrezza Oestreicher